Aplicação de Botox em Urologia

Uso de Toxina Botul√≠nica (Botox¬ģ) para o tratamento da Hiperatividade Detrusora ou Urge-Incontin√™ncia Urin√°ria

Introdução

A toxina botul√≠nica √© uma subst√Ęncia neuro-t√≥xica produzida pela bact√©ria ‚Äúclostridium botulinum‚ÄĚ, que age inibindo a libera√ß√£o de acetil-colina na jun√ß√£o pr√©-sin√°ptica, evitando assim a neuro-transmiss√£o nervosa; bloqueando consequentemente a contra√ß√£o daquele m√ļsculo.
A utiliza√ß√£o da toxina botul√≠nica vem sendo aplicada no trato urin√°rio h√° algum tempo com excelente sucesso, mas s√≥ recentemente ganhou ampla aceita√ß√£o e estudos, que confirmaram largamente as primeiras impress√Ķes.
Inicialmente utilizada exclusivamente em casos de bexiga neurogênica decorrente de paraplegia, logo se verificou que os resultados poderiam ser facilmente transferidos para casos de bexiga hiperativa, resistentes ao tratamento medicamentoso, ou para pacientes, que desejassem um tratamento definitivo e com resultados robustamente mais sustentados.


As Ves√≠culas sin√°ticas s√£o bloqueadas pela a√ß√£o do Botox¬ģ


 

Utilização na Bexiga
A capacidade da toxina botul√≠nica alterar o funcionamento das termina√ß√Ķes nervosas musculares encontrou ampla utiliza√ß√£o para casos de bexiga hiperativa, cistite intersticial, cistite act√≠nica ou qu√≠mica, assim como em casos de disfun√ß√Ķes miccionais diversas.
Como sua a√ß√£o pode ser controlada, a inje√ß√£o localizada e seletiva produz bloqueio muscular espec√≠fico e desejado, sem afetar outros √≥rg√£os, ou mesmo m√ļsculo vizinhos.Ademais, como o bloqueio n√£o √© apenas dos m√ļsculos, mas tamb√©m das vias sensitivas, sua utiliza√ß√£o pode inclusive ser aplicada em casos de bexiga dolorosa e esp√°stica.
O efeito imediato √© o aumento da capacidade de armazenamento urin√°rio da bexiga, melhor controle volunt√°rio, e por conseq√ľ√™ncia diminui√ß√£o dos epis√≥dios de perdas urin√°rias ou urge-incontin√™ncia. Adicionalmente, pacientes com ‚Äúcistite intersticial‚ÄĚ ou s√≠ndrome da bexiga dolorosa, experimentam al√≠vio da dor e do n√ļmero de vezes que necessitam ir ao banheiro.¬† A impressionante melhora e satisfa√ß√£o cl√≠nica j√° foram relatados em estudos placebo-controlados, o que d√° n√≠vel de evid√™ncia de efic√°cia muito consistentes.

Modo de Aplicação
A aplica√ß√£o da toxina tem papel importante na colheita de resultados cl√≠nicos, uma vez que se verificou alguma varia√ß√£o nos √≠ndices de sucesso relatados pelos diferentes autores m√©dicos. Assim, parece que a experi√™ncia nas aplica√ß√Ķes, colocando a medica√ß√£o na zona sub-urotelial, garante melhores e mais duradouros resultados, promovendo aumento da capacidade vesical e melhora da dor.
Estas diferen√ßas nos resultados, explica-se pela intimidade da aplica√ß√£o de medicamentos pela via endosc√≥pica (por cistoscopia), mas como a espessura vesical √© muito fina, a diferencia√ß√£o entre o epit√©lio vesical e o m√ļsculo detrusor, pode n√£o ser t√£o evidente para cirurgi√Ķes menos experimentados, o que explica a varia√ß√£o de resultados observada.

Benef√≠cios da Aplica√ß√£o de Toxina Botul√≠nica no Tratamento da ‚ÄúCistite Intersticial‚ÄĚ
A cistite intersticial ou s√≠ndrome da bexiga dolorosa, assim a prostatite cr√īnicaI, s√£o doen√ßas desabilitantes, caracterizadas pela conjun√ß√£o de aumento da frequ√™ncia miccional, dor supra-p√ļbica e sensa√ß√£o eminente da necessidade de urinar.
Os tratamentos correntes normalmente são decepcionantes e apresentam baixo índice de sucesso.
Ainda que a instila√ß√£o intra-vesical de √°cido hialur√īnico e DMSO sejam utilizados, ao lado do uso de amitriptilina e pentossan-polissulfato, os resultados n√£o s√£o duradouros e certos.
Desta maneira, ainda que impr√≥pria, a hidro-distens√£o continua sendo amplamente utilizada, pois de fato promove melhora tempor√°ria, apesar de poder causar efeito rebote, com piora subseq√ľente dos sintomas.
Hoje se sabe que pacientes com ‚Äúcistite intersticial‚ÄĚ apresentam perda do epit√©lio, o que exp√Ķe os terminais nervosos sub-uroteliais a agentes inflamat√≥rios, que por conseq√ľ√™ncia fazem o m√ļsculo detrusor (da bexiga) contrair esp√°stica e involuntariamente, causando dor, necessidade frequente de urinar e aumento da freq√ľ√™ncia de mic√ß√£o.
A aplica√ß√£o de toxina botul√≠nica nestes casos bloqueia a comunica√ß√£o dos terminais nervosos excessivamente ‚Äúacessos‚ÄĚ, dessensibilizando a bexiga para as sensa√ß√Ķes de dor.
Experiências com ratos, revelam que a injeção de ácido-acético na bexiga causa grande inflamação levando a bexiga a se contrair, diminuindo seu tamanho. No entanto, se os ratos são tratados previamente com toxina botulínica antes de serem induzidos a inflamação artificial da bexiga, a bexiga não se contrai. O que mostra o efeito protetor e reversivo da toxina botulínica.

Benefícios da Aplicação de Toxina Botulínica na Próstata

O crescimento constritivo da pr√≥stata em torno da uretra pode causar dificuldade miccional, que se acompanha de v√°rios outros sintomas, tais como acordar diversas vezes √† noite (nict√ļria), ter urg√™ncia para urinar (urg√™ncia), aumentar o n√ļmero de vezes para urinar durante o dia (freq√ľ√™ncia), ter sensa√ß√£o de mic√ß√£o incompleta, infec√ß√Ķes urin√°rias, etc.

Como a percep√ß√£o destes sintomas, assim como o grau de inc√īmodo s√£o veiculados pelo sistema nervoso, o bloqueio neuronal aferente e eferente promovido pela toxina botul√≠nica, pode produzir expressiva melhora ou cura dos sintomas, numa nova fronteira de aplica√ß√£o da droga.
Há uma grande quantidade de nervos colinérgicos na próstata que também inervam a bexiga conjuntamente, e por isso problemas na próstata interferem diretamente no funcionamento vesical.
A aplica√ß√£o de Toxina botul√≠nica na gl√Ęndula prost√°tica produz apoptose (diminui√ß√£o exacerbada do crescimento e morte celular) com resultante atrofia prost√°tica e diminui√ß√£o do t√īnus do esf√≠ncter uretral, facilitando ainda mais a mic√ß√£o.

Benefícios da Aplicação de Toxina Botulínica no Esfíncter Uretral para Tratamento da Dissinergia Vésico-esfincteriana ou Bexiga Hiperativa Secundária

O esvaziamento da bexiga se alicerça no princípio básico e fisiológico de que a bexiga, ao se contrair, faz uma pequena força de contração para se esvaziar porquê a uretra se abre amplamente.
No entanto, nem sempre este processo ocorre desta maneira! Algumas pessoas n√£o conseguem ‚Äúrelaxar‚ÄĚ a uretra, exigindo da bexiga uma contra√ß√£o muscular mais vigorosa, o que produz problemas miccionais.
A aplicação de toxina botulínica no esfíncter relaxa-o, diminuindo a indesejável resistência uretral, e por conseguinte facilitando a micção em casos de bexiga neurogênica-não-neurogênica ou dissinergia vesico-esfincteriana.

Uretrocistografia (radiografia) demonstrando mulher urinando, mas com ponto de estrangulamento na regi√£o do esf√≠ncter uretral, cujo m√ļsculo n√£o se relaxou

 

A alta taxa de sucesso deste recurso (ao redor de 85%, varia de 75 a 100%) promove alívio para uma condição onde os resultados de cura ou melhora não alcançavam 25%, tornando opção obrigatória para os casos graves ou de falhas com outros recursos.
Alguns estudos m√©dicos j√° demonstraram significativa diminui√ß√£o da press√£o vesical (antes: 56.5 ¬Ī 41.2 ‚Äď ap√≥s: 39.0 ¬Ī 32.1 cmH2O) e do res√≠duo p√≥s-miccional (antes: 300 ¬Ī 189.1 ‚Äď ap√≥s: 50 ¬Ī 153.6 ml) ap√≥s a aplica√ß√£o da toxina no esf√≠ncter e assolho p√©lvico.